História

Conheça-nos melhor

Um grupo de académicos e profissionais, 16 portugueses e dois norte americanos(1) com formações diversas em domínios relacionados com a sustentabilidade ambiental, a arquitectura paisagista, o ordenamento do território, o planeamento regional e as novas tecnologias de informação geográfica, reuniram-se, a 10 de Setembro de 1998, e subscreveram um documento, designado por “Declaração de Lisboa”.

De acordo com esta Declaração, a Associação encontra-se aberta a qualquer pessoa que partilhe os objectivos do movimento internacional dos Corredores Verdes e que deseje a ela aderir para tomar parte activa nas suas actividades.(2)

Os autores desta Declaração assumiram o compromisso de cooperar entre si, no sentido de divulgar e contribuir para a implementação no nosso País do conceito de Corredor Verde, em articulação com semelhantes iniciativas já existentes em muitos outros países Europeus e Norte-Americanos. Desde logo, foram organizadas diversas acções, nomeadamente conferências e seminários, realização de projectos a nível local e regional, orientação e realização de trabalhos de investigação para a obtenção de graus académicos.

É assim que, com base nesta experiência, tem lugar em 2 de Junho de 2000, no Instituto Superior de Estatística e Gestão da Informação (ISEGI), em Lisboa, a Assembleia de Fundadores. Nela é decidida a constituição da Associação, aprovados os Estatutos e eleitos os seus Corpos Gerentes. Poucos dias depois, a 6 de Junho, a escritura pública é assinada em Évora, cidade histórica portuguesa e europeia, classificada pela UNESCO como Cidade Património Mundial.

(1) Prof. Doutor Julius Gy. Fabos (Professor Emeritus) e Prof. Doutor Jack Ahern. Universidade de Massachusetts, Amherst, EUA.

Link: Jack Ahern: http://people.umass.edu/jfa/cv.html
Link: Julius Gy. Fabos: http://www.umass.edu/larp/faculty/emeriti.html

(2) De acordo com os Estatutos da Associação podem ser associados da APCV quaisquer pessoas singulares ou colectivas, nacionais ou estrangeiras, dividindo-se em quatro categorias: Fundadores, Efectivos, Honorários e Institucionais.
Link (Publicação em Diário da República – III série, N.º 213 de 14 de Setembro de 2000):
http://www.dre.pt/pdfgratis3s/2000/09/2000D213S001.pdf (pp. 19706-8)

 

APCV – ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CORREDORES VERDES

Certifico que, por escritura desta data, exarada de fl. 21, do livro n.º 85-F, do 2.º Cartório Notarial de Évora, a cargo da notária Maria do Rosário Namora Guerreiro da Cunha, foi constituída por tempo indeterminado, uma Associação sem fins lucrativos, com a denominação em epígrafe, com sede provisória na Rua de António Manuel da Costa, 42, Sobreda de Caparica, freguesia de Sobreda, concelho de Almada, e cujo objecto social é a constituição de um grupo de discussão interdisciplinar e profissional, assim como de divulgação de experiência e de informação técnica e científica na área dos Corredores Verdes.
Podem ser associados da APVC quaisquer pessoas singulares ou colectivas, nacionais ou estrangeiras, dividindo-se em quatro categorias: fundadores, efectivos, honorários e institucionais. Perdem a qualidade de associados, aqueles que o requeiram ou aqueles que, de algum modo prejudiquem a Associação ou deixem de cumprir os estatutos.

6 de Junho de 2000.

A Ajudante, Filomena da Conceição Passos Martins. 10-2-118 821”

Publicação no Diário da República

Registo da APCV

 

FIRST CONFERENCE ON GREENWAYS
Lisboa Hotel Meridien

23th – 27th May 1994

Com o apoio da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD)
e do Centro Nacional de Informação Geográfica (CNIG)