Princípios

os nossos

 

Príncipios

1. A paisagem, entendida como a resultante da acção do homem sobre o território, deverá ser considerada como a expressão da cultura de um povo e, consequentemente a sua salvaguarda é essencial para a qualidade ambiental, identidade cultural e, consequentemente qualidade de vida e da população residente e visitante.

2. A qualidade da paisagem resulta da qualidade visual suportada por situações de equilíbrio ecológico, exploração sustentável dos recursos naturais, valor histórico e identidade cultural.

3. O padrão de distribuição espacial dos recursos e valores que sustentam a qualidade da paisagem permite a delimitação no território de áreas de maior densidade das ocorrências. Estas áreas de maior concentração de recursos constituem oportunidades para desenvolvimento das regiões, incluindo o recreio, o turismo, o lazer e a saude das populações.

4. O conceito de Corredor Verde deverá ser entendido como uma estratégia de ordenamento do território e de desenho da paisagem, a qual se baseia na salvaguarda dos valores existentes e na definição de áreas prioritárias de recuperação no sentido da definição de uma rede de espaços e corredores de elevada qualidade paisagística.

5. O conceito de Corredor Verde permite conciliar expectativas de diferentes grupos de cidadãos e entidades públicas, no sentido de concertar esforços diversos de defesa conjunta dos valores abióticos, bióticos e culturais.

 

Visão

Integrar e promover Corredores Verdes no território como elemento dinamizador da biodiversidade, da economia dos recursos, da cultura e da saúde das populações.

 

Missão

1. Constituir um grupo de discussão interdisciplinar e profissional, assim como de divulgação de experiências e de informação técnica e científica na área dos corredores verdes, através da organização de encontros, seminários e acções de formação, nomeadamente, ao nível de disciplinas do Ensino Universitário.

2. Promover e defender o conceito de Corredores Verdes junto das entidades e actores com responsabilidade no ordenamento do território e gestão da paisagem, nomeadamente, instituições do governo central e regional, câmaras municipais, associações de defesa do ambiente e população em geral.

3. Promover a divulgação de experiências existentes e apoio técnico a entidades e/ou grupos de cidadãos que pretendam implementar o conceito de Corredor Verde.

4. Explicar e promover a aplicabilidade do conceito de corredor verde a nível nacional, estratégia que contribua para o desenvolvimento económico e social do território, com a salvaguarda da qualidade ambiental através de um projecto a nível de todo o território que aborde as seguintes questões:

• O levantamento de situações existentes;
• A delimitação das zonas de maior qualidade paisagística;
• O levantamento dos instrumentos de salvaguarda existentes, diagnóstico de situações prioritárias para a
manutenção de áreas continuas de paisagem de elevada qualidade;
• O estabelecimento de redes municipais e regionais que possam constituir resposta portuguesa às redes
europeias.

 

Valores

• A APCV é uma Associação sem fins lucrativos
• Procura a integração interdisciplinar de diferentes temáticas
• Exige o respeito pelas estruturas ecológicas que caracterizam o território
• Promove de novos modelos de mobilidade e sustentabilidade
• Coopera desde a sua criação com outras instituições e organizações ambientais